Orientação de Pais

“Educai as crianças e não será preciso punir os homens”. (Pitágoras)

Orientação de pais e desenvolvimento das crianças

Muitas coisas mudaram nas últimas décadas e entre elas a educação dos pais dada aos filhos. Antigamente, o pai era o provedor financeiro da família e a mãe responsável pela casa e educação dos filhos. A educação transmitida era mais rígida com poucas conversas e muitas punições. As crianças não tinham nem “gosto” e nem “vez”. As escolas também utilizavam de punições e castigos para educar as crianças. Diante das dificuldades que os pais apresentam atualmente, buscar um serviço de orientação de pais é fundamental para o bom crescimento das crianças.

O tempo foi passando e de lá para cá muitas mudanças ocorreram na estrutura familiar, nas escolas e na rotina das crianças. As mães têm saído de casa para trabalhar, e comummente retornam ao trabalho logo após a licença maternidade. Muitas crianças começam a ir cedo para a escola, creche ou ficam com babás ou familiares. Ao retornarem para casa, os pais estão cansados e com pouco tempo para darem atenção adequada para os filhos. Eles têm apresentado também pouca paciência para lidar com as necessidades das crianças.

Por outro lado, as crianças passam o dia todo sem ver seus pais e acabam exigindo muito deles, atenção, afeto e brincar. Pela falta de tempo e atenção dos pais, algumas vezes as crianças têm muito “gosto” e muita “vez”. Pois, os pais cansados acabam cedendo excessivamente aos pedidos das crianças. E é a partir daí que pode começar uma rotina desgastante e inadequada tanto para as crianças quanto para os pais. É comum vê-los errar achando que está acertando.

O que fazer com o nosso filho?

Os problemas de comportamento das crianças e as dificuldades encontradas na tarefa de educar os filhos são queixas muito comuns nos consultórios de Psicologia. Muitos pais chegam falando “eu não sei mais o que fazer”. Isso nos mostra tamanha angustia sentida e a preocupação destes com relação aos seus filhos.  Algumas crianças, por sua vez, estão sem limites e birrentas. Frequentemente tentam chamar a atenção dos pais de forma inadequada . Apresentam dificuldades na escola e na interação social com os colegas e professores, o que prejudica todo seu desempenho e oportunidades de aprendizado.

A orientação de pais

Assim, a Psicologia Comportamental tem se atentado para essa demanda. Muitos estudos realizados mostram a relação direta entre a educação dada pelos pais e suas habilidades parentais aos problemas de comportamentos (ou não) nas crianças. Para Del Prette e Del Prette (2002), pais socialmente habilidosos oferecem modelos saudáveis. Eles são capazes de manter práticas educativas positivas, instituindo limites necessários. De outro modo, pais que possuem dificuldades interpessoais podem influenciar, muitas vezes sem nem perceber, o surgimento de “problemas de comportamento” em seus filhos, através de modelos e atenções inadequadas.

Dessa forma, é de fundamental importância que os pais estejam atentos a si mesmos, a forma como educam seus filhos e os comportamentos dos seus filhos. Buscar uma ajuda especializada através da orientação de pais pode ser uma importante decisão para o futuro deles. A profissional irá investigar os comportamentos que podem ser melhorados, tanto das crianças, quanto dos pais. Além disso, a intervenção será diretiva e focada no crescimento da criança. O desenvolvimento da autoestima, autoconfiança e responsabilidade será também foco do trabalho. O quanto antes for notado as dificuldades na dinâmica familiar, mais rápido e efetivo serão os resultados.

“É na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais”. (Coelho Neto)

Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato!

Imagens: Pinterest

Autora: Psicóloga Camila Reis (CRP 06/112110)