O que é Resiliência?

Resiliência é a capacidade de enfrentamento diante de situações adversas da vida.Muitas vezes você pode ter se questionado porque algumas pessoas superam certas dificuldades e outras pessoas diante de situações semelhantes demonstram total desamparo ou desespero? O que estas pessoas têm de diferentes? Por que nos dias atuais é importante apresentar características de superação? O que significa ser resiliente?

O que é Resiliência?

A palavra resiliência que tem sua origem do latim resilio. Inicialmente esse termo era exclusivamente utilizado no campo da Física. É definido como a propriedade de um corpo voltar ao seu estado original após sofrer pressão ou deformação sobre si. Na Psicologia, o termo foi adaptado com o objetivo de descrever a capacidade de um indivíduo de se regenerar, adaptar e se reconstruir positivamente diante de adversidades. Como situações adversas, têm-se as tragédias, doenças ou outras dificuldades pessoais e profissionais. Entretanto, apenas defini-la não explica por que algumas pessoas são mais resilientes e outras são menos. Por isso, nos últimos 40 anos pesquisadores de diversos países e diferentes abordagens tem buscado estudar esse tema. Há pesquisadores que acreditam ser essa uma característica inata do ser humano. Outros tantos afirmam ser um comportamento apreendido durante a história de vida do indivíduo.

Por que algumas pessoas são mais resilientes que outras?

Nesse contexto, a Psicologia Comportamental, fundamentada na ciência da Análise do Comportamento (AC) discute o conceito de resiliência. A AC parte do pressuposto de que “os homens agem sobre o mundo e o modificam e, por sua vez, são modificados pelas consequências de sua ação.” (Skinner, 1957, p.1). Assim, desde o nosso primeiro contato com o “mundo” aprendemos e desenvolvemos diversas categorias de comportamentos e somos modificados por nosso meio. Dessa forma, pessoas que passaram desde dilemas simples enquanto crianças ou situações mais difíceis durante suas vidas e que foram socialmente apoiadas de forma irrestrita, através de demonstrações de afeto, sendo familiar ou não, ou que foram em suas histórias individuais, reforçados e elogiados por continuarem tentando, ainda que diante de problemas, traumas e situações aversivas, aos poucos vão desenvolvendo comportamentos resilientes.

Como exemplo, uma criança que estava brincando de bola e caiu. Visivelmente seus pais perceberam que não era nada grave (a criança não se machucou) e a incentivaram a continuar brincando com a bola, mesmo após o “susto”. Em diversas situações semelhantes a essa, a criança vai aprendendo a lidar com as dificuldades. Ela aprende a “cair e se levantar” e a enfrentar as frustrações do dia a dia.

O que as pessoas resilientes têm de diferentes?

Mudanças constantes acontecem no nosso dia-a-dia, seja no trabalho, em casa, na escola, na universidade, nas ruas e instituições. Algumas mudanças podem gerar frustrações, podendo ser mais difíceis que outras. Em algum momento da vida pessoas podem ser demitidas, tirar notas baixas, sofrer acidentes, estar presente em catástrofes naturais, ser acometidas por alguma doença, entre outros. Diante disso, cada vez mais é exigido de nós rápida adaptação diante de situações estressoras. Como também, se esperam mudanças comportamentais e adaptação para que não seja “passado para traz”. Nesse sentido, desenvolver habilidades que nos auxiliem a se reerguer, enfrentar os problemas e vencer obstáculos são socialmente valorizadas e importantes para o crescimento pessoal e profissional de cada um.

O que achou desse texto? Comente aqui e compartilhe!

Quer conversar comigo sobre isso? Entre em contato!

 Autora: Camila Reis (Psicóloga CRP 06/112110)

Imagens: Pinterest